Inicio   I   3 Fatores   I   Conferências   I   Salas de conferências   I   Biblioteca   I   Estudos    I   Links


Conhecimento de Si Mesmo - Conferência Nro 40

voltar atrás

O sacrifício pela humanidade


Já que esta conferência fala de um dos Três Fatores para a Revolução da Consciência, é importante que tratemos de aprofundar.

O Sacrifício pela Humanidade é entregar o Conhecimento desinteressadamente a toda humanidade. O termo Sacrifício quer dizer Sacro Oficio, ou Oficio Sagrado. O Oficio Sagrado é o da sabedoria; está relacionado com a força do Paí. O Oficio do Paí é o do ensinamento, é dar sabedoria. Quando ensinamos aos demais irmãos da humanidade a forma de Auto-Realizarse intimamante encarnamos a força do Paí.
É evidente que toda a humanidade ignora para qué vive. As pessoas não tem a menor ideia para que nasceram. nInguém os disse. Vivem em um estado de hipnotismo, totalmente fascinadas e com a Consciência completamente adormencida.
Nós, quando já o sabemos, temos a responsabilidade de ensinar qual e a Razão de existir, para qué nascemos, quais são as posibilidades de Ser, como poderemos integrar-nos com o Ser, para que cada um faça o que melhor lhe parece, respeitando sempre o libre arbítrio.
Normalmente no térmo sacrifício vemos sofrimento, porque estamos completamente egoistizados. Essa força do egoismo faz que nos custe muito trabalho fazé-lo, desenvolve-lo. O Ego (dele proveem o egoismo) sempre vai opor-se a que o façamos.
A maioria das pessoas quando chegam aos Três Fatores pensam que são muito faceis de levar a prática, porém, quando o aplicam, não entendem por que se torna tão dificil.
Normalmente o sacrifício seria muito simples. Realmente torna-se dificil devido que dentro de nos carregamos não só um egoista, senão milhões de egoistas, que apontam em distintas direções. Portanto, temos em nosso interior um eu do temor, que não é um temor, senão milhões de temores que não nos deixam servir desinteressadamente.
O Amor sempre se vê nas Obras, o desamor, a raiz do temor , é a omissão.
Quando começamos a sacrifícarnos pela humanidade, automaticamente começamos a desegoistizarnos. Estudemos isto: a palavra des-egoistizarnos quer dizer deixar de ser egoistas, ou compatir o que temos com os demais. Se em verdade queremos lograr algo, devemos eliminar o Ego e o egoismo em nós, e a chave está no Sacrifício pela Humanidade.

Qué é o único que verdadeiramente temos, qual é o nosso Patrimonio?
O nosso Conhecimento, a sabedoria que nos permite Revolucionar-nos, liberar-nos e Auto-Realizar-nos em uma existência.
Se refletimos nisto, se valorizamos o que possuimos, nos dareamos conta de que este conhecimento não se poderia comprar nem com todo o ouro do mundo.
Quando o compartimos com outras pessoas estamos deixando de ser egoistas, estamos dando aos demais a possibilidade de que eles também possam auto-realizarse.
Porém comprendamos desde agora que não devemos convencer ninguém, devemos dizer , porém, não rogar, quem não estiver preparado não poderá iniciar o Caminho. Cada qual deve convencer-se a si mesmo.

Condições para o Sacrifício pela Humanidade

• Devemos entregar o conhecimento gratuitamente, se cobramos não é sacrifício senão negócio. Todas as religiões cometeram esse erro.
• Devemos entregá-lo a todo o mundo, sem distinções de sexos, cor de pele, classe social, etc.
• Não devemos modificá-lo, estamos dormidos e não podemos alterar o que os Seres despertos organizaram. Cada uma destas pistas, para despertar a Consciência, foram ordenadas para esse objetivo.
• Devemos entregá-lo puro, sem agregar outras coisas que não são do Conhecimento. São Três Fatores e nada mais.
• Não devemos tirar ou esconder nada, pois isto seria adultério. Isto aconteceu com os cristãos, que enconderam os Mistérios do Sexo, castraram o Fator Nascer.
• Não devemos mezcla-lo com outros conhecimentos, pois isto adulteraria e já não seria este conhecimento.

Porqué é um dever entregar este Conhecimento?

Vejamos algumas razões para sacrifícarnos pela humanidade e reflitamos um pouco em cada uma delas.

• O Ser é o Ser, e a razão de ser do Ser é o mesmo Ser.
• Para poder desegoistizarnos, dar um duro golpe ao Ego.
• Uma obra de Amor se alimenta com amor. O amor está nas obras, se não fazemos obras conscientes pelos demais, não despertamos o amor.
• As chispas liberadas com a morte devem despertar o amor e aprender a servir.
• Para poder lograr méritos do coração.
• Ao leão da Lei se combate com a caridade. Fazendo obras conscientes pela humanidade teremos a Lei a favor.
• Quem dá, do que dá recebe. Quem quer sabedoria tem que dar sabedoria.
• Se uma pessoa ajuda a despertar a outros, lhe ajudarão.
• Quem tem e não dá, o pouco que possui lhe será tirado. Quando se tem o conhecimento tem também uma responsabilidade terrível. Se uma pessoa não der, a Lei lhe cobrará. Pelo fato de ter, lhe cobram, porque é um direito custoso, terrivelmente custoso. Y como cobram?: O Karma por ter a sabedoria e não entregá-la, se paga com a cegueira. Normalmente é o Karma dos que tiveram o conhecimento e o esconderam, então, esconderam também a luz, porque a luz é a Sabedoria.
• Equilibrar o fator Nascer. Uma pessoa que esta sacrificando-se pela humanidade pode nascer até três vezes mais rápido que o egoista.
• Equilibrar o fator Morrer. Cada um dos nossos eus tem sua própria dívida, se queremos eliminá-los, deveremos pagar o que devem
• Devemos o Karma de sete existências, se vamos Auto-Realizar-nos em uma, devemos pagá-lo a vista.
• O Sacrificio pela Humanidade produz Dharma ou dinheiro cósmico, com o que poderemos pagar o Karma.
• Quando ensinamos estamos em contato com a força do Paì. Ele nos ensina quando nós o fazemos.
• Recebemos força para os diferentes trabalhos, Desdobramentos, Meditações, Retrospetivas, etc.
• Para compreender melhor o conhecimento.
• Para que não esqueçamos o conhecimento.
• Para tornarnos mais profundos no conhecimento, enquanto desperta a Consciência.
• Quanto maior consciência, implica um maior compromisso com o Ser.
• Para não cair na Entropia ou Noite Cósmica.
• Quem trabalha para o Cristo, o encarna.
• Nos liberamos para tornarnos úteis ao Ser, deixar de ser malvados.
• A satisfação que produz trabalhar desinteressadamente.
• Para conseguir o Discípulo, que nos permitirá entrar ao Absoluto.

Induvitavelmente, se continuamos observando, todo o mundo acredita que, com apenas, escutando as conferências uma vez, será suficiente. Porém, na medida em que uma pessoa repassa os temas, o Ser lhe ensina. No entanto, enquanto uma pessoa ensine aos demais, cada dia lhe vai dando novos detalhes. Então os instrutores se tornam mais profundos, e essa profundidade é de repasar o mesmo tema.
Tomamos o temario, nos centramos nele, e vamos vendo desde a conferência numero um até a conferência cinquenta. Porém, cada volta iremos vendo com mais profundidade, cada vez vamos descobrindo algo novo. Não se torna rutinario, senão que começa a comprendê-lo.
Quando uma pessoa diz :"o pão nosso de cada dia", está referindo-se a sabedoria que chega do Paí diariamente a nosso coração. Então, quando se faz a súplica: "dá-nos o pão nosso de cada dia", está pedindo Sabedoria para poder alimentar-se. Por que não somente de comida física se vive, senão também dessas manifestações que vem dos mundos superiores. As duas glándulas, Pineal e Pituitaria, através de um caminho secreto, por uma porta muito especial, podem mandar até o coração a sabedoria do Paí, porém tem que senti-la, tem que vive-la.

Diversas formas de Sacrifícios pela Humanidade

O Sacrifício pela Humanidade consta com dois grandes aspectos: Pescar e Ensinar.
Pescar é buscar as pessoas interessadas em fazer a Obra. Aqui ressaltam as diversas formas de divulgação e publicidade.
Para ensinar, primeiro tem que aprender as conferências e logo preparar-se.

Vejamos distintas formas de fazer Sacrifício pela Humanidade:

• A primeira forma e quando uma pessoa começa a assisitir ao curso.
• Logo convida aos conhecidos, familiares, amigos, vizinhos, etc., a que assistam ao curso.
• Quando se convida a todos os conhecidos, familiares e amigos, tem que seguir com as demais pessoas, com a humanidade. Então poderá repartir panfletos e convidar as pessoas para assistir as conferências.
• Colar cartazes ou fazer outros tipos de campanhas publicitárias.
• Para sacrifícarnos pela humanidade devemos preparar-nos, refletindo e compreendendo o que temos aprendido.
• Mais tarde, a pessoa se fogueará para poder entregar o temário em uma sala.
• Uma vez aprendido, iremos dando introduções para novos alunos.
• Logo poderá colaborar entregando conferências nas mesmas salas onde esta assistindo.
• Posteriormente abrirá sua primeira sala e se encarregará dela.
• Depois abrirá salas em outros lugares para difundir o conhecimento em outras partes.
• Mais tarde se tornará instrutor internacional e abrirá grupos em outros paises.
• Logo dirigirá os grupos e os orientará.
• Escrevendo libros do Conhecimento.
• Fazendo campanhas publicitárias: locais, nacionais ou mundias.
• Despertando para poder fazer Sacrifício mais consciênte.

Reflitamos nisto. O importante é que quando alguém se decide a ensinar, não importa onde, pode ser na rua, em um parque, em uma cafeteria, etc. Tudo o que se ensina se torna força e esa força a necessitamos para poder avançar. Então, é urgente refletir sobre esta conferência para ver se podemos mudar a atitude. Devemos tentar servir a humanidade, decidir começar, por que muitas pessoas querem servir, porém, a timidez não as deixam. Comecemos.
Por que tanta gente chega e por que tão poucos ficam? Pois, porque não tem com que sustentar-se dentro do ônibus (que simboliza a sala de conferência). Por isso se retiram permanentemente. A fórmula é COMEÇAR A FAZER.

 

voltar atrás

Inicio   I   3 Fatores   I   Conferências   I   Salas de conferências   I   Biblioteca   I   Estudos   I   Links

Resolução mínima 800x600 - Copyright © 2008 e-mail: conhecimentodesimesmo@gmail.com