Inicio   I   3 Fatores   I   Conferências   I   Salas de conferências   I   Biblioteca   I   Estudos    I   Links


Conhecimento de Si Mesmo - Conferência Nro 28

voltar atrás

O Cristo Universal e Individual


O Cristo Universal

Convém entender que o Exército da Voz, o Exército da Palavra, é Fogo.
E que esse Fogo vivo, esse Fogo vivente e filosofal que faz fecunda a matéria caótica, é o Cristo Cósmico, o "Logos", a Grande Palavra.
Porém, para que o Logos apareça, para que venha a manifestação,‘o "UM" deve desdobrar-se em "DOIS", quer dizer: O Pai na Mãe, e da união dos dois opostos nasce o terceiro: O Fogo.
Esse fogo é o Logos, o Cristo, o Verbo que faz possível a existência do Universo na Aurora de qualquer criação. 
Convém que entendamos melhor o que é o Cristo. Que não nos contentemos em recordar a questão meramente histórica. Porque o Cristo é uma realidade de instante em instante, de momento em momento, de segundo em segundo; Ele é o Criador. O Fogo tem o poder de criar os átomos e de desintegrá-los; o poder para manejar as forças cósmicas e universais, etc.
O Fogo tem o poder para unir todos os átomos e criar universos, como poder para desintegrar universos. O mundo é uma bola de fogo, que se ascende e apaga segundo leis.
Cristo é o Fogo do Fogo, a Chama da Chama, a Assinatura Astral do Fogo.
Sobre a cruz do Mártir do Calvário está definido o Mistério do Cristo com uma só palavra que consta de quatro letras: INRI- Ignis Natura Renovatur Integram- "O Fogo Renova Incessantemente a Natureza". 
O advento do Cristo, no coração do homem, nos transforma radicalmente.



O Exército da Voz

Cristo é o Logos Solar, Unidade Múltipla Perfeita. Cristo é a vida que palpita no universo inteiro, é o que é, o que sempre tem sido e o que sempre será.
Muito se falou sobre o Drama Cósmico; inquestionavelmente, este drama está formado pelos quatro Evangelhos. Foi nos dito que o Drama Cósmico foi trazido pelos Elohim à Terra; o Grande Senhor da Atlântida representou esse drama em carne e osso. 
O grande Kabir Jesus também teve que representar o mesmo drama, publicamente, na Terra Santa.
Ainda que o Cristo nasça mil vezes em Belém, de nada serve se não nasce em nosso coração também.
Ainda que houvesse morto e ressuscitado ao terceiro dia dentre os mortos, de nada serve isso se não morre e ressuscita em nós também.
Tratar de descobrir a natureza e a essência do fogo é tratar de descobrir a Deus, cuja presença real sempre se revelou sob a aparência ígnea.
A sarça ardente (Êxodo, III, 2) e o incêndio do Sinai, a raiz do outorgamento do Decálogo (Êxodo, XI,18) são duas manifestações pelas quais Deus apareceu a Moisés.
Sob a figura de um ser de Jaspe e Sardônico da cor da chama, sentado em trono incandescente e fulgurante, São João descreve o dono do universo (Apocalipse,VI,3, 5)."Nosso Deus é um Fogo Devorador", escreve São Paulo em sua "Epístola aos Hebreus".


O Cristo Individual 


Se em frente ao Guardião do Mundo da Vontade não nos decidimos pelo Caminho Direto, estreito e difícil, não será possível que o Cristo Individual nasça. Se, previamente, não tornamo-nos homens, não é possível que nasça o Filho do Homem. "Se a semente não morre o germe não nasce". O Cristo Íntimo está latente em nossa semente. A tentação é fogo, o triunfo sobre a tentação é luz. O iniciado deve aprender a viver perigosamente; assim está escrito; isto sabem os Alquimistas. O Cristo Íntimo surge interiormente no trabalho relacionado com a dissolução do Eu Psicológico.
Obviamente o Cristo Interior somente advém a nós, nos momentos máximos dos esforços intencionais e padecimentos voluntários. O advento do Fogo Crístico é o acontecimento mais importante da nossa própria vida.
O Cristo Íntimo se encarrega, então, de todos os nossos processos mentais, emocionais, motores, instintivos e sexuais.
Inquestionavelmente, o Cristo Íntimo é nosso Salvador interior profundo.
O Cristo Íntimo, o Fogo Celestial, deve nascer em nós, e nasce, em realidade, quando estivermos bastante avançados no Trabalho Psicológico.
O Cristo Íntimo deve eliminar de nossa Natureza Psicológica as mesmas causas do erro,
os Eus Causa. Não seria possível a dissolução das causas do Ego enquanto o Cristo não haja nascido em nós.
O Fogo Vivente e Filosofal, o Cristo Íntimo, é o Fogo do Fogo, o puro do puro.
O Fogo nos envolve e nos banha por todas as partes, vem a nós pelo Ar, pela Água e pela mesma Terra, que são os seus conservadores e seus diversos veículos.
O Fogo Celestial deve cristalizar em nós, é o Cristo Íntimo, nosso Salvador interior profundo. 
O Senhor Íntimo, deve encarregar-se de toda nossa psique, dos cinco cilindros da máquina humana orgânica, de todos os nossos processos Mentais, Emocionais, Motores, Instintivos, Sexuais.
O Cristo Cósmico está formado por todos os Cristos Individuais de uma Galáxia.

Cristos de diferentes culturas:

▪ Jeshuá Bem Pandirá (Jesus)
▪ João Batista
▪ Mateus
▪ Judas Escariotes
▪ Enoch
▪ Melquisedeck
▪ Kouthumi
▪ Sanat Kumará
▪ Rafael
▪ Uriel
▪ Michael 
▪ Samael Aun Weor
▪ Rabolú
▪ São Agustim
▪ Mória (São Francisco de Assis)

▪ Santa Teresa de Jesus
▪ Joana Darc
▪ Abade Tritemus
▪ Dante Alighieri
▪ Platão
▪ Pitágoras
▪ Orfeo
▪ Apolonio de Tyana
▪ Hermes Trismegisto
▪ Budha Gautama Sakiamuni
▪ Krishna 
▪ Manú Vaibasbata
▪ Fo-Hi (Fu Xi) 
▪ Lao Tsé 
▪ Zoroastro ou Zarathustra

▪ Maomé
▪ Quetzalcoatl
▪ Kalusuanga
▪ Paracelso (Philip Teofrastus Aureolus Bombastus von Hohenheim)
▪ Racovsky (Conde de Saint Germain)
▪ Bochica
▪ Herbert
▪ Rochbach
▪ Fulcanelli
▪ Nicolas Flamel
▪ Cagliostro
▪ Orifiel
▪ Raimundo Lúlio

voltar atrás

Inicio   I   3 Fatores   I   Conferências   I   Salas de conferências   I   Biblioteca   I   Estudos   I   Links

Resolução mínima 800x600 - Copyright © 2008 e-mail: conhecimentodesimesmo@gmail.com